Médico Formado pela USP

NEUROESTIMULAÇÃO TRANSCRANIANA

O que é neuroestimulação transcraniana?

A Neuroestimulação Transcraniana é um classe de procedimentos médicos com comprovação científica de eficácia, que permitem um tratamento indolor e não invasivo.

Apresenta taxas de resposta iguais ou superiores a das medicações orais, mas sem seus efeitos colaterais e de maneira mais rápida.

Os procedimentos conhecidos como Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC), Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) ou ainda pelos nomes de Neuromodulação e Neuroestimulação, são realizados com equipamentos aprovados pelo FDA (Food and Drug Administration) nos Estados Unidos e pela Anvisa para uso no Brasil.

Como funciona?

Pacientes com depressão apresentam um desequilíbrio no cérebro entre os circuitos neurais que ligam o córtex pré-frontal ao sistema límbico, responsável pelo controle das emoções. As técnicas de neuromodulação estimulam a atividade neuronal nessa região. Este estímulo eletromagnético ativa os circuitos entre os neurônios, restaurando o equilíbrio cerebral.

As aplicações são feitas em consultório médico, sem o uso de anestésicos ou sedativos, com o paciente acordado, podendo ir sozinho às sessões, sem prejudicar suas atividades diárias.

A intensidade, a localização exata da aplicação e a quantidade de estímulos devem ser cuidadosamente definidas pelo médico, de acordo com a necessidade específica de cada quadro clínico.

As ondas eletromagnéticas atravessam o crânio e modulam o funcionamento de neurônios, sem que o paciente tenha a percepção física, sendo, portanto, indolor. A formação de novas conexões neuronais em áreas que estavam inativas ou funcionando de forma não adequada é o mecanismo pelo qual quadros como a depressão são tratados. As novas conexões entre os neurônios são consolidadas após cada sessão, promovendo uma melhora perceptível e duradoura dos sintomas.

Conheça as Vantagens

01

Alta eficácia: estudo do Instituto de Psiquiatria da USP em cerca de 3 mil pacientes com depressão observou boa resposta à EMT em cerca de 80% dos casos.

02

Meta-análises da literatura médica indicam que ocorre eficácia tão intensa quanto a das medicações antidepressivas. Ainda, por ter um mecanismo de ação completamente diferente, pode ocorrer eficácia robusta mesmo em pacientes que previamente não apresentaram eficácia com antidepressivos. Uma outra possibilidade, é o uso como potencialização dos efeitos destes medicamentos.

03

Muito poucos ou ausência de efeitos colaterais (pode ocorrer leve desconforto nas primeiras aplicações e dor de cabeça leve e passageira).

04

Rápida resposta ao tratamento: em geral já ocorre melhora após 1 semana de aplicações. Alguns pacientes referem melhora após a 1a sessão.

05

Tratamento seguro, não invasivo e não requer anestesia.

Comparação entre Neuroestimulação e medicações antidepressivas

NEUROESTIMULAÇÃO

Medicações Antidepressivas

EFEITOS COLATERAIS COMUNS

NEUROESTIMULAÇÃO

Cefaléia leve e passageira

Medicações Antidepressivas

cefaléia obstipação sonolência ou insonia alterações na libido dor de estômago náuseas diarreia (sintomas em geral passageiros)

INÍCIO DOS EFEITOS TERAPÊUTICOS

NEUROESTIMULAÇÃO

3 a 4 dias

Medicações Antidepressivas

14 a 40 dias

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

NEUROESTIMULAÇÃO

10 a 20 sessões (duração total de 15 a 30 dias)

Medicações Antidepressivas

Mínima duração, em geral, de 6 a 8 meses

EFICÁCIA

NEUROESTIMULAÇÃO

Cerca de 80% dos casos

Medicações Antidepressivas

Cerca de 80% dos casos

A Neuroestimulação pode substituir os medicamentos nos casos de depressão leve ou moderada, ou aumentar a eficácia deles nos casos das depressões graves ou bipolares. Tem a mesma eficácia dos melhores antidepressivos com a vantagem de não apresentar efeitos colaterais, como ganho de peso e perda do desejo sexual.

Segurança

Vale ressaltar que esse procedimento é Indolor e Não invasivo e não requer anestesia ou preparo específico. O pulso eletromagnético atravessa os tecidos sem sofrer resistência, portanto não ocorre dano. A Estimulação Magnética Transcraniana foi aprovada pela FDA, instituição que controla medicamentos e tratamentos nos Estados Unidos, desde outubro de 2008. Em abril de 2006 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA concedeu registro ao aparelho de estimulação no Brasil. Em 2011, o método foi aprovado pelo Conselho Federal de Medicina, CFM.

Indicações

  • 1 Quadros de depressão que não tenham respondido adequadamente ao tratamento com medicamentos antidepressivos
  • 2 Casos em que a medicação não é bem tolerada, com muitos efeitos colaterais
  • 3 Pontencialização do tratamento com medicamentos.

Como funciona o Tratamento

01

Consulta para avaliação do diagnóstico, avaliar indicação do procedimento, solicitar exames complementares e personalizar a estratégia de tratamento (área a ser estimulada e número de sessões).

02

Em casa sessão o paciente senta-se numa poltrona, coloca uma “touca” de borracha, sobre a qual é marcado o local em que receberá o tratamento.

03

O equipamento é posicionado e o paciente recebe os estímulos durante aproximadamente 30 minutos, permanecendo acordado e sem necessidade de uso de medicações.

04

Durante a aplicação o paciente pode praticar leitura em um livro ou celular, ou simplesmente relaxar. Alguns pacientes chegam a dormir naturalmente durante o tratamento.

05

O número de sessões e a frequência variam de acordo com o quadro. Em geral, para casos mais sintomáticos, são realizadas de 10 a 20 sessões consecutivas, 5 vezes por semana.

06

Em casos mais leves podem ser realizados menor número de aplicações.

07

Após o tratamento inicial, a manutenção será definida com cada paciente. Alguns necessitarão de sessões de manutenção periódicas. Outros, não necessitarão de sessões de manutenção, caso não ocorram novas recaídas.

Há algumas formas de neuroestimulação, métodos que modificam a comunicação entre as células nervosas do cérebro na região tratada. Verifique abaixo algumas áreas estratégicas (os 2 pontos superiores são os “alvos” no tratamento da depressão).

Evidências importantes de eficácia do tratamento em:

Transtornos Alimentares

Déficit de Atenção

Dependência Química

Transtorno Bipolar de Humor

Transtorno Obsessivo Compulsivo

Transtorno do Pânico

Tremores da Doença de Parkinson

Quadros dolorosos como enxaqueca

Fibromialgia e neuralgia do trigêmeo

Melhora cognitiva em paciente com Alzheimer

Agende uma consulta com nossos especialistas.

Agende uma consulta

Unidade Ibirapuera

(11) 3051-7260

Unidade Alphaville

(11) 99242-9583