Médico Formado pela USP

Relação entre depressão e pressão arterial anormal e doenças cardíacas.

O estudo em mais de 35.000 pacientes descobriu que o risco de um acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco, insuficiência cardíaca ou de morte devido a doenças do coração em quatro anos foi de 83% maior em pacientes deprimidos com pressão arterial elevada e 36% maior em pacientes deprimidos com pressão baixa, em comparação com aqueles com pressão arterial normal e sem sintomas depressivos.

“Este é o primeiro estudo que já investigou, especificamente, a relação entre os sintomas depressivos e pressão arterial extrema e sua influência no número de mortes relacionadas a ataques cardíacos, acidentes vasculares cerebrais, insuficiência cardíaca e doenças cardíacas em pacientes com doença cardíaca pré-existente, diabetes ou acidente vascular cerebral existentes”, afirma o Dr. Jani.

Durante os quatro anos de seguimento, 3.939 pacientes (11%) tiveram pelo menos um evento danoso maior. Dr. Jani disse que “A relação entre depressão e pressão arterialé uma área de pesquisa médica em curso e várias teorias fisiológicas estão sob revisão para explicar a natureza dessa relação.”

Ele concluiu: “Nossas descobertas sugerem que a concentração de recursos na monitorização da pressão arterial e fornecer tratamento em pacientes com sintomas depressivos associados poderiam melhorar os resultados de saúde, reduzindo o risco de novos acidentes vasculares cerebrais ou ataques cardíacos, ocorrência de insuficiência cardíaca ou morte por doença cardíaca. Elas também indicam que os pacientes com pressão arterial alta ou baixa podem se beneficiar de diagnóstico e tratamento para a depressão. Até o momento não há estudos que mostram que o tratamento da depressão altera ou melhora os resultados cardiovasculares e é necessária mais investigação nesta área. Estudos também são necessários para entender melhor como pressão arterial e depressão interagem”.

 

Fonte: ScienceDaily