Médico Formado pela USP

Psicose e intervenções não-farmacológicas.

As pessoas com perturbações psicóticas têm expectativa de vida reduzida em comparação com a população em geral. Esta diferença se deve principalmente ao aumento da prevalência de doença cardiovascular associada a medicamentos antipsicóticos e com diferentes fatores de risco, incluindo ganho de peso, falta de exercício físico, má alimentação, e alta prevalência de tabagismo.

Pesquisadores da Universidade de Melbourne revisaram as intervenções não-farmacológicas no comportamento da saúde física em pacientes crônicos e com primeiros episódios de psicose. Durante o trabalho eles encontraram resultados que sugerem que a perda de peso e atenuação do ganho de peso são possíveis, mas limitadas e podem não persistir para além de uma intervenção. Evidências em intervenções de cessação do tabagismo são escassas.

O estudo aponta para os benefícios de uma intervenção precoce para evitar a deterioração da saúde física é forte.

Para além do trabalho realizado os pesquisadores propõe um quadro para o desenvolvimento de intervenções, que aborda três fatores principais largamente ausente na pesquisa anterior: (1) análise de fatores etiológicos relacionados à má saúde física, (2) intervenções orientado a teoria que visam factores etiológicos, e (3) avaliação de viabilidade.

Agende uma consulta

Unidade Ibirapuera

(11) 3051-7260

Unidade Alphaville

(11) 99242-9583